terça-feira, 19 de maio de 2009

Brincando de Vida!


Na época de colégio, nunca fui uma pessoa muito sociável, nunca tive muitas amizades e me sentia deslocada. Na verdade, apesar de conviver com pessoas muito mais inteligentes que eu, me sinta muito superior a elas. Eu conseguia enxergar “alem dos portões do Múltipla Escolha”. Sim, eu me sentia presa no mundo da Malhação... E aí, mantendo certa arrogância, eu me recusava a me relacionar com aquela gente.
O que eu não enxerguei, foi que deixei de viver experiências maravilhosas, adquirir conhecimentos e sensações que só os amigos podem proporcionar. Então decidi que já estava na hora de mudar. Resgatei antigas amizades, na faculdade conheci pessoas sensacionais. Eu era então, finalmente, um “ser social”. Tinha amigos na facu, no trabalho, na academia, na balada e até um namorado! Finalmente tinha conhecido os prazeres do amor! Hehe!
Já não me acho melhor do que ninguém. Compreendi que sou o resultado das experiências que vivi e, mesmo que alguém tenha vivido a mesma coisa, nem sempre o resultado é o mesmo.
Apesar de estar cercada de gente de todo tipo, ainda sim, sinto que não me encaixo em nenhum grupo. Não sou do tipo intelectual, nem porra louca, muito menos drogada ou patricinha. Sou um pouco de cada. Por um lado, é ótimo, pois dá uma visão mais ampla de tudo. Mas, por outro, me tira a profundidade. Por isso, hoje acredito que todos devemos fazer parte de alguma coisa, ter a nossa “panelinha” mesmo! Eu tenho uma panelona!! Cheia de gente junta e misturada. Porém, infelizmente, tinha algo de podre nesse caldo. Tive que dar uma selecionada nos ingredientes. Recentemente, desfiz um laço de amizade, o mais antigo. Dói ainda, ainda mais da forma como foi, mas, a vida é assim mesmo. Pra frente é que se anda... ♪
Gosto de pensar que amizade é que nem uma arvore. Quanto mais antiga, mais valiosa. Só que às vezes ela apodrece por dentro, e aí não tem mais salvação...

terça-feira, 12 de maio de 2009

Bonito é quem me faz bem!


Já notaram como os mais gatos namoram as mais feias? E vice-versa? Por quê? Porque o nem só de aparências vive o amor! Engraçado falar isso, em um mundo tão farto de rótulos e valores superficiais. No fundo, o que queremos, é justamente o que foge disso.

Certa vez, participando de um seminário, cercada por pessoas importantes e também por aspirantes, todos bem vestidos e pomposos. Fui surpreendida pela entrada de um sujeito vestindo uma calça jeans rasgada, tênis sujo, camiseta desbotada, com a gola desbeiçada e um cabelo que, definitivamente, precisava com urgência de uma boa dose de vitamina TT (tesoura). Na hora eu pensei: “O que é isso? Ele nunca ouviu falar de marketing pessoal?” Confesso que até pensei em buscar um terno para ele... Ele não saia da minha cabeça! De repente não ouvia mais a palestra, somente suas perguntas inteligentes e só enxergava as anotações em seu caderninho... Estava encantada!

Sempre fomos fascinados pelas exceções e nunca pelas regras. Porém, o que nos une, é muito mais que isso! É o jeito de olhar, falar, tocar e, principalmente, as afinidades entre cada casal.

Como me relacionaria com alguém que não entenderia a minha paixão pela noite, a minha sede de cerveja, os meus gostos musicais e cinematográficos? As minhas leituras, a minha habilidade em falar besteira, o meu vício por cigarros mentolados e tequila Jose Cuervo? E, claro, como conviver com alguém que nunca entenderia o apresso por minhas amizades masculinas? (Porque ainda dizem que não existe amizade entre homem e mulher. Bobagem!). Para que eu tivesse um relacionamento duradouro, eu percebi que, além de amor, eu teria sim que encontrar alguém companheiro, mas que fosse, sobretudo, igual ou pior a mim. Ambos teriam os mesmos interesses e não entraríamos em conflito na hora de decidir o programa do sábado à noite. Este ser idealizado teria que entender que poderia querer uma noite de amor selvagem um dia, mas que gostaria de dormir abraçada, assistindo filme e comendo sorvete de chocolate em outro. (Denise Godinho – Nosso Mundo Imundo)

Ah sim, as afinidades! São elas que nos aproximam, são elas que fazem com que o outro nos compreenda que nos permite comunicar através dos olhares, e manter aceso o sentimento. Essa cumplicidade, nem sempre, ou melhor, quase nunca, se encontra naquele elegido como “príncipe encantado”. Ele é perfeito, um Deus! E as afinidades estão justamente nos que são como nós. Seres humanos imperfeitos! E aí quando nos damos conta, estamos perdidamente apaixonadas por aquele amigo. Sabe aquele? Que sempre foi o companheiro, que você deu incontáveis vexames perto? Que você dizia que era feiosinho?
Ora, a beleza está nos olhos de quem vê! O que é belo de verdade vem de dentro para fora, e só quem percebe é aquele que tem a paciência para enxergar...

terça-feira, 5 de maio de 2009

O Belo...




Este mês encerram as inscrições para os principais concursos de beleza do país. Para participar, as candidatas devem se enquadrar nas medidas estipuladas pela organização. Sua conduta também deve seguir o modelo pré-estabelecido. É claro que ostentar um titulo de miss, não é uma coisa simples. Tem um peso enorme, e para quem quer seguir a carreira artística, é o trampolim! Muitas atrizes da rede globo começaram nos palcos do Miss Brasil. A Vera Fisher que o diga! Depois de inúmeros testes do sofá - como ela mesma disse - a eterna Miss Universo, tornou-se uma “grande atriz” (Nós bem sabemos que não é...).
Mas o que é ser belo? O dicionário diz que, ser belo, é ser perfeito. E o que é ser perfeito, num mundo repleto de pessoas diferentes? O que é perfeito para mim, pode não ser para você!
Varias garotas, na busca pelo titulo, se modificam totalmente tanto psicológica quanto fisicamente. Eu acho que a única beleza perfeita é aquela que vem de dentro pra fora, que juntamente com a personalidade, e um defeitinho aqui ou ali, da identidade a cada um de nós... “O segredo esta nas imperfeições...”.
Que graça tem em ser um estereotipo? Passar o ano todo participando de eventos beneficentes, acenar para as câmeras com aquela mãozinha e aquele sorriso que parece que congelou na cara no momento da coroação? Nunca poder tomar um porre, dar um bafão homérico ou ainda, por que não, sair descabelada por aí?
Não sei não, mas acho que prefiro a Amy Winehouse...